As cores do Laos

0
Carinha laroca numa aldeia à beira do Mekong onde tecedeiras fazem bonitos trabalhos de algodão e seda.

No Laos, “terra onde se ouve o arroz crescer”, e o tempo se estende como as redes de secar o rei dos cereais e outros temperos quentes, descemos o Mekong durante dois dias até Luang Prabang. Cidade monástica, com charme colonial – é património mundial da Unesco -, o dia inicia-se pincelado a laranja com os monges a recolherem as almas pelas ruas e ruelas. Também em Luang Prabang estive, uma vez mais perto desses “gentis gigantes”, os elefantes, animais ligados à realeza e até à anunciação do Buda. Pernoitei na aldeia de Phonxay onde raramente param estrangeiros e nos olharam (ainda mais) de olhos em bico. Acolhidos numa casa de uma família, fomos abençoados por meia aldeia numa cerimónia tradicional lao, o Baci, onde nos sentimos profundamente acarinhados. Em Vang Vieng, conhecida pelos desportos-aventura e o ambiente bem relaxado, descemos o rio Song, de tubing, ou seja, bóia gigante. Há que descer e admirar os rios – e as montanhas – no Laos. Obrigada, terra tranquila, Kawp Chai Lai Lai, Lao.

IMG_6922
Pha Suat Lang é o símbolo do Laos e o monumento mais importante do país. Situa-se na capital, Vientiane.

IMG_6913

IMG_6910
Laos, o país comunista onde vigora a iniciativa privada e a economia de mercado.
IMG-6817
Bela ajudante na “horta de montanha” da aldeia de Phonxay.
IMG-6847
Pequeno almoço na aldeia.
IMG-6563
Secagem do arroz.
IMG-6812
Cultivo do gengibre em Phonxay.
IMG-6880
Vang Vieng
IMG-6753
‘Elephants are forever.’

Os monges receberem as almas (esmolas, o alimento do dia) ao nascer do sol é um ritual ancestral nos países budistas. A mancha laranja que preenche ruas e templos – e as câmaras dos turistas -, e nos aguça os sentidos e a curiosidade, ganha dimensão e espetacularidade em Luang Prabang, ou não fosse ela uma cidade orgulhosamente monástica.

IMG-6728

Deixe um comentário. Acreditamos na responsabilização das opiniões. Os comentários anónimos ou de identificação confusa são apagados, bem como os que contenham insultos, desinformação, publicidade, contenham discurso de ódio, apelem à violência ou promovam ideologias de menorização de outrém.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.