Sanuk, Tailândia: e começou a viagem

0
Templo azul, ou dos tigres dançantes (nome de aldeia), Chiang Rai

Como a nossa saudade, sanuk é uma palavra só existente em tailandês. Significa “alegria nas pequenas coisas”, esse dom tantas vezes esquecido passados os tempos de meninice. Que de quando em quando desperta. Qual varinha, as viagens têm o condão de acordar a vossa Maryan Pan para (mais) sanuk. As Terras do Sempre são o norte da Tailândia (incluindo Banguecoque “fora do circuito”), o Laos e o Camboja (Angkor Wat). Esta fotorreportagem começa pelo antigo reino do Sião, hoje um país budista moderno e multicultural, mas de raiz animista e onde a superstição e, também, a “fofice”, nos surpreendem – e alegram – em cada canto e a cada passo.

IMG-6247
Atutthaya: bodhi tree or budha tree? No saque à ex-capital do Sião, esta cabeça do Buda ficou pelo caminho e foi abraçada pela natureza.
IMG-6243
Estação de Ayutthaya – free hair cut!
IMG-6300
Wat Chaiwatthanaram, Ayutthaya.

Chiang Rai, cidade que se tornou famosa pelo seu out of the blue, totally branco-nacarado-rococó White Temple, um invulgar encontro entre o profano e o sagrado. Apogeu do kitsch, celebra o triunfo das forças do bem sobre o mal. Sob a mesma estrutura, Budas e criaturas ‘fofinhas’ convivem com demónios, aliens, terminators, tartarugas-ninja, Bin Laden e até com o Michael Jackson. O criador é anti-cultura pop-hollywoodesca e vê todas as suas personagens como antagonistas. É literal e metaforicamente um pagode! E, na aldeia dos tigres dançantes, o totally blue Blue Temple, pincelado a majorelle com os seus tetos trabalhados e paredes a contar a história da vida do Buda com primazia para a cor primordial.

IMG-6511
B(l)u(e)da
IMG-6509
A naga (cobra) protegeu o Buda da tempestade; em movimento ascendente à entrada do templo, representa o caminho entre o terreno e o divino.
IMG-6480
Templo branco, apogeu do kitsch em Chiang Rai.

Com esta lua cheia, começa o festival Loy Krathang, a razão para esta viagem estar a acontecer agora. Em três palavras, água, luz e fé. As celebrações iniciaram-se há uma semana e, em Bangkok, nós e muitas dezenas de milhares de tailandeses, subimos em filona-peregrinação-indiana o Golden Mount. Curiosa esta frase, antes de os tailandeses serem budistas eram hindus. Por aqui acredita-se que o rei atual, Rama X, é a reencarnação humana do deus Vishnu.

IMG-6327
Festival Loy Prathong, ou festival tailandês das luzes, no epicentro de Chiang Mai.
IMG-6201
Topo do Golden Temple, levámos duas horas a subir 100 metros tal a multidão. Esta ida ao Golden Temple marca o arranque das celebrações do Loy Prathong em Bangkok.
IMG-6339
A construir os krathongs: este ano mais ecológicos, plastic-free, alguns de cheetos para peixes!
IMG-6209
Monge “encarregado” das pulseirinhas auspiciosas.
IMG-6466
Local de tranquilidade em Chiang Mai. Num beco, depois de rua movimentada, encontramos este sítio mágico de contemplação
IMG-6324
Chiang Mai – Si Phum
IMG-6359
O arco da rua Augusta no Silver Temple em Chiang Mai
IMG-6464
Wat Pra Sing entre a terra e o céu, Chiang Mai.
IMG-6463
Monges de cera em Wat Pra Sing.

IMG-6276

Fotografias de Mariana Beleza Tavares.

Deixe um comentário. Acreditamos na responsabilização das opiniões. Os comentários anónimos ou de identificação confusa são apagados, bem como os que contenham insultos, desinformação, publicidade, contenham discurso de ódio, apelem à violência ou promovam ideologias de menorização de outrém.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.