Disassemble, de Gilberto e Gabriel Colaço

0

Num sítio hipster de Lisboa (perto do Campo dos Mártires da Pátria), na Galeria Bangbang (do casal de artistas plásticos Catarina Lira Pereira e Gilberto Colaço), numa sexta feira à noite (quente como manda o verão), os gémeos Gabriel e Gilberto Colaço inauguraram a exposição Disassemble. Vários acrílicos em papel – na linha dos seus trabalhos dos últimos tempos, com a oposição/dualidade – ou, talvez melhor, continuidade ou complementaridade – da natureza e de objetos de criação humana. Pequenas instalações com os mesmos temas. Os objetos human made são sobretudo construções, casas e carros (em degradação, como se brevemente tencionassem cobrir-se de vegetação e tornar-se parte da natureza). É uma curiosa escolha de opostos. As casas e as construções de tijolos são objetos fixos, impossíveis de mudar de local; os carros são a mobilidade absoluta.

Por fim expõem peças que misturam impressão de desenhos em 3D e pintura em acrílico. As casas e a construções voltam a figurar. Nestas obras o perigo já não é a natureza a invadir, mas o processo de desconstrução e de separação de partes destas construções – daí o nome da exposição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

P9140654.jpg

Gabriel e Gilberto Colaço, nascidos em 1975, vivem e trabalham em Portugal, entre Lisboa e Alcobaça. Apesar de terem ambos trabalhos a solo, a maioria das suas obras é concebida e produzida conjuntamente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Licenciados em Artes Plásticas – Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Pós-graduados em Desenho pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Desenvolvem o seu trabalho em conjunto, essencialmente sob o suporte do desenho, pintura e a instalação.

Das várias exposições realizadas, destacam-se: Variations Portugaises, Abbaye Saint André – Centre d´Art Contemporain Meymac, France (2018); Panorama – Le Consulat – curadoria de Adelaide Ginga, Lisboa (2018); Ensaios sobre a (in) flexibilidade do natural, Ministério do ambiente, Lisboa, curadoria de Andreia César (2018); Territorial, Mute Contemporary Art, Lisboa (2016); 2View, Lugar do Desenho, Fundação Julio Resende, Gondomar, Portugal (2013); Entre, Galeria Jaime Portas Vilaseca, Rio de Janeiro, Brasil (2013); Abre-Alas, curadoria de Beatriz Lemos, Felipe Scovino, Guga Ferraz, Galeria A Gentil Carioca, Rio de Janeiro, Brasil (2010); Sets #3 – Galeria Ramis Barquet, Nova Iorque, EUA e Monterrey, México (2008); Start, Galeria Zaum Projects, Lisboa (2008); New Skins, Galeria Alvarez, Porto (2007); Gabriel & Gilberto Colaço + Nick Rodrigues, Rhys Gallery, Boston, EUA (2007); Large formats, Alejandra Von Hartz Gallery, Miami, EUA (2007); 14 fragmentos contemporâneos II – Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador, Brasil (2005); Bios, Galeria Pedro Serrenho, Lisboa (2003).

Receberam também alguns prémios ao longo do percurso, entre os quais: 1º prémio – “Arte e Espiritualidade”, Ministério da Cultura, Cordoaria Nacional, Lisboa (2006); 1º prémio de Pintura- IX Prémio de Pintura e Escultura D. Fernando II, Sintra (2005); 1º prémio – Prémio de Pintura, Herdade do Esporão e Diário de Notícias (2005); 1º prémio de pintura, Aveiro jovem criador 2003, Aveiro (2003); 1º prémio – Concurso Nacional de Fotografia Casa da Juventude – Póvoa de Varzim (2002).

Podem visitar a sua página aqui.

Disassemble pode ser visitada na Galeria Bangbang, na Rua Dr. Almeida Amaral 30b, 1150-138 Lisboa, até 12 de outubro.

 

 

Artigo anteriorImagens de Taipei, Taiwan
Próximo artigoBambi dá o lugar a nova sapataria Ara
Avatar
Mãe de dois rapazes e feminista (das duas características conclui o leitor inteligente que não quer exterminar os homens da face da Terra). Licenciou-se em Economia ao engano, é empresária, mas depois encarreirou para os Estudos Orientais, com pendor para a China. Foi blogger e é cronista do Observador. Considera Lisboa (onde nasceu e vive) a cidade mais bonita do mundo, mas alimenta devaneios com Londres e Hong Kong.

Deixe um comentário. Acreditamos na responsabilização das opiniões. Os comentários anónimos ou de identificação confusa são apagados, bem como os que contenham insultos, desinformação, publicidade, contenham discurso de ódio, apelem à violência ou promovam ideologias de menorização de outrém.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.