17.4 C
Lisbon
Segunda-feira, Agosto 19, 2019
Inicio Autores Posts por Rodrigo Ferrão

Rodrigo Ferrão

Avatar
14 POSTS 0 COMENTÁRIOS
Rodrigo Ferrão nasceu em 1983, é natural do Porto e frequentou o curso de Direito, mas virou a página e foi livreiro alguns anos. Rodeado de livros, dedicou-se à discussão literária através do mundo digital. Não totalmente realizado com o debate, decidiu escrever a sua própria poesia, seguindo-se de outras grafias. Gosta de ler, passear no campo e na cidade, escrever e viajar – não perde uma oportunidade para contar aquilo que vê. Sonha um dia largar o trabalho e ir por aí, divagando como pensa.

O meu encontro com a escritora Sabina Urraca

Sabina Urraca enviou-me uma mensagem, uns dias antes da conversa que íamos ter, na livraria Flâneur, Porto....

Somos o Esquecimento Que Seremos, Héctor Abad Faciolince

 Somos o Esquecimento que Seremos, QuetzalO meu pai e a minha mãe eram contraditórios nas suas crenças e nos seus comportamentos,...

A Morte de Ivan Ilitch, Lev Tolstói

Um dos pedaços literários mais formidáveis que li. História curta e simples, de um funcionário público angustiado; e...

Uma Viagem à Índia, Gonçalo M. Tavares

A Índia é um país grande. Não pelaextensão mas porque é antigo. O tempo, numpaís inteligente, é a extensão mais significativa.Milhares...

Memórias Póstumas de Brás Cubas

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, edição Relógio d'Água"Ao verme que primeiro roeu as...

Asterios Polyp, de David Mazzucchelli

Asterios Polyp is David Mazzucchelli’s masterpiece: a great American graphic novel Vencedora de inúmeros prémios na categoria, incluindo...

O Retorno, Dulce Maria Cardoso

Acho justo apelidar Dulce Maria Cardoso como uma das mais talentosas da sua geração e um nome já consagrado em...

Declaração de amor a Lisboa

Nasci no Porto, sempre com um pé em Lisboa, desde pequeno. O meu pai estudou lá,...

Joãozinho

Crianças com cancro internadas em contentores - é esta a imagem que tento recriar na mente, mas não consigo. Entro e saio do Hospital...

Elogio da Sombra, Jun’ichirō Tanizaki

Mas basta de recriminações, sou o primeiro a reconhecer que os benefícios da civilização contemporânea são incontáveis, e além disso os discursos não irão...